Projeto vai resgatar memórias das localidades onde estão os cinco campi da instituição

por Bruna Dionísio Castelo Branco publicado 05/08/2019 18h15, última modificação 06/08/2019 08h01
Iniciativa é fruto da parceira entre o IFRR e o Iphan. Serão destinados R$ 35 mil em recursos para a execução das atividades

Nesta segunda-feira, 5, representantes do Instituto Federal de Roraima (IFRR) e da Superintendência do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) no estado se reuniram para tratar da parceria para a execução do projeto Memórias do Meu Lugar: Patrimônio Cultural e Território em Roraima. A ação ocorreu na sala de reuniões da Reitoria do IFRR, durante todo o dia.

O projeto tem como objetivo fazer o levantamento e o registro das memórias de lugares e espaços dos municípios e do entorno onde estão localizados os cinco campi da instituição: Boa Vista, Boa Vista Zona Oeste, Novo Paraíso, Amajari e Avançado Bonfim, a partir do relato de experiências de vida de estudantes e seus familiares. Ele será dividido em três etapas que incluem a realização de oficinas, de inventário e a elaboração de material impresso e digital para divulgação dos resultados. No IFRR, a execução da pesquisa será acompanhada pela equipe da Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação Tecnológica (Propesq).

A equipe de apoio que executará as ações é composta por servidores de diferentes unidades do Instituto Federal de Roraima. São eles: Mariana Lima da Silva (coordenadora), Luciana Marinho Melo, Ana Paula Franchi, Leandro Brito de Mattos, Karla Cristina Damasceno de Oliveira, Antonio Evaldo Soares, Gaspar Osório Henriques, Amarildo Ferreira Júnior, Denison Rafael Pereira e José Willians Simplicio da Silva. Essa comissão foi formada após a assinatura do protocolo de cooperação entre o Iphan e IFRR, no dia 21 de março.

Conforme a coordenadora do projeto, professora Mariana Lima da Silva, desenvolver a pesquisa vai permitir, entre outros aspectos, a integração de servidores dos campi e da Reitoria do instituto, bem como das respectivas comunidades do entorno de cada campus. “Considera-se uma experiência inovadora, porque possibilitará a atuação conjunta de pesquisadores das seis unidades do instituto em prol de uma temática comum. Pretende-se registrar as memórias dessas comunidades e, por consequência, do próprio IFRR, pois o projeto diz respeito às identidades culturais dos estudantes da instituição", explicou.

Reitora do IFRR, Sandra Mara Botelho e a Superintendente em exericio do Iphan, em Roraima, Lady Silva
Reitora do IFRR, Sandra Mara e Superintendente em exercício do Iphan, em Roraima, Lady Silva

Serão destinados pela Superintendência do Iphan em Roraima R$ 35 mil em recursos para o desenvolvimento do projeto. De acordo com o cronograma de execução do plano de trabalho, as atividades devem ser desenvolvidas até junho de 2020. Para Larissa Guimarães, coordenadora de execução das ações no âmbito do Iphan em Roraima, essa será uma boa chance de as instituições realizarem ações descentralizadas, que beneficiem diferentes municípios do estado. “Esse será um trabalho que irá se juntar aos outros trabalhos que abordam o inventário participativo no Brasil, desenvolvidos pelo Iphan”, complementou.

A reitora do IFRR, Sandra Mara Botelho, agradeceu o interesse e a opção do Iphan pelo IFRR como parceiro, e ainda destacou a relevância da ação, que é multidisciplinar e multicampi. “O projeto deverá permitir o conhecimento de vários lugares e espaços em Roraima, servindo, inclusive, de referência para as gerações futuras. Acreditamos no potencial dos envolvidos e desejamos que os resultados sejam satisfatórios”, disse. 

Laura Veras
Fotos: Gildo Júnior
Ascom/Reitoria
5/8/2019

 

« Novembro 2019 »
month-11
Do Se Te Qu Qu Se Sa
27 28 29 30 31 1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30